Alimentação na Depressão Destaque

Os microrganismos que habitam no nosso intestino parecem ter influência sobre a nossa saúde mental

Uma equipa liderada pelo Jeroen Raes, do Instituto Flamenco para a Biotecnologia, publicou uma análise em que relaciona a falta de alguns tipos específicos de bactéria com a depressão ❗️

e sugere que uma quantidade importante de bactérias pode produzir compostos capazes de afectar o nosso estado mental.

Estes microrganismos estão associados à sua capacidade em produzir DOPAC, metabolitos relacionados com a Dopamina (neurotransmissor). Que está associado a estados de conforto e bem-estar na saúde mental.

☑️Interessa notar também que uma boa parte da nossa serotonina (Neurotransmissor da felicidade, regula o sono e interfere na sensação de saciedade e apetite) é produzida ao nível intestinal.

⚠️ Em pessoas com alterações gastro-intestinais, como a síndrome de intestino irritável, foram detectados problemas de ansiedade e/ou depressão, e, em geral, é frequente que os transtornos mentais e os digestivos aconteçam ao mesmo tempo.

 Esta linha de investigação pode ajudar a compreender doenças, consideradas crónicas, como o Parkinson, o Alzheimer como também quadros depressivos.
Ainda poderíamos ir mais longe como no autismo, deficits de atenção e hiperatividade.

Alguns estudos detetaram que estas patologias estão relacionadas com algum tipo de transtorno intestinal.

☑️ O mais importante é respeitar a sua individualidade metabólica e conhecer as suas necessidades visto que, estas patologias podem estar relacionadas com um deficit em determinados nutrientes que nem sempre se manifesta de igual forma e por isso recomendo uma higiene intestinal equilibrada e se necessário uma análise bioquímica para conhecer o seu corpo.

Alguns conselhos gerais que podem ser de grande utilidade:

⛔️ Retire da dieta os açúcares, charcutaria e alimentos processados.

 Adicione alimentos anti-inflamatórios e reguladores das bactérias intestinais tais como:

☑️ a curcuma em conjunto com a pimenta preta (para ativar a propriedade ativa da curcumina).
☑️ os fermentados tipo iogurtes de boa qualidade, o kombucha, kefir entre outros alimentos com fibras fermentáveis.
☑️ evitar o glúten
☑️ consuma cenouras, maçãs, batata doce e consuma uma porção moderada de oleaginosas por dia (nozes, amêndoas, sementes de girassol etc.), assim como pêra abacate, linhaça e aveia (pelo seu alto conteúdo em vitamina B ) sem glúten.
☑️ adicione à sua alimentação leguminosas pelo seu elevado teor de triptofano.

 

Jeanette Ornelas 

Naturopata. Cédula Profissional Nº 0300337 Emitida pelo ACSS
(Administração Central do Sistema de Saúde)

Terapeuta Desenvolvimento Transpessoal ENBS
(Emoneurobiosistêmica®)

Os cookies facilitam o fornecimento de nossos serviços. Com o uso de nossos serviços, você nos permite usar cookies.
Mais informação Ok